O caminho de descobertas do Dr. Bach

Em 1930, quando abandonou sua bem sucedida carreira de médico em Londres, o Dr. Bach tinha uma certeza: independente da doença apresentada pelo paciente, seu estado emocional também deveria ser considerado

“Não importa qual é a doença: é o estado de espírito em si mesmo que deve ser tratado.”

E foi com esta certeza que ele se mudou para o interior da Inglaterra, numa região que faz fronteira com o País de Gales.

Até o outono de 1932, ele já havia encontrado doze essências, as quais chamou de 12 Curadores.
Esse primeiro grupo de florais trata os temperamentos, características inatas que estão presentes em cada um de nós.

Os florais desse grupo são: Impatiens, Clematis, Mimulus, Agrimony, Chicory, Vervain, Centaury, Cerato, Scleranthus, Water Violet, Gentian e Rock Rose.
O Dr. Bach estava muito animado com suas descobertas e com os resultados.
Mas, percebeu que pessoas que tinham passado por problemas por um longo período de tempo, uma doença por exemplo, não respondiam tão bem a nenhum dos doze curadores. É como se o seu temperamento estivesse encoberto por uma condição crônica.
Assim, ele partiu em busca de novas essências. Entre 1933 e 1934, ele descobriu mais sete florais.

Olha como ele indicou o uso destas novas essências:

“Se o paciente não melhora quando aparentemente o Curador correto é administrado, existem mais sete remédios como alternativa, pois, quando uma doença é antiga, está mais resistente e pode precisar de um reforço extra para começar a responder ao tratamento. Os sete remédios para esses casos são chamados de Os Sete Auxiliares.”

As essências desse grupo são: Oak, Gorse, Rock Water, Heather, Vine, Olive, Wild Oat.

Por fim, em 1935, ele descobriu mais dezenove essências para trabalhar questões pontuais. Olha o que ele disse sobre elas:

“Não há dúvidas de que esses novos remédios agem em um plano diferente dos primeiros. Eles são mais espiritualizados e podem nos ajudar a desenvolver o nosso eu interior, que tem o poder de superar todos os medos, todas as dificuldades, todas as preocupações, todas as doenças.”

Nesse grupo, estão as seguintes essências: Cherry Plum, Elm, Aspen, Chestnut Bud, Larch, Holly Hornbeam, Willow, Beech, Crab Apple, Walnut, Star of Bethlehem, White Chestnut, Red Chestnut, Pine, Honeysuckle, Wild Rose, Mustard, Sweet Chestnut.

Uma das características do trabalho do Dr. Bach é que ele sempre publicava suas descobertas. Em 1936, ano de sua morte, ele publicou o livro Os Doze Remédios Curadores e Outros Remédios.

Nesse livro, ele reorganizava as 38 essências que havia descoberto em grupos de emoções. Sua ideia era manter a simplicidade do sistema de maneira que todos pudessem reconhecer seus estados emocionais e reequilibrar suas emoções:

“Trinta e oito diferentes estados são descritos a seguir com simplicidade, e não deve haver dificuldades para qualquer um, que esteja tratando de si mesmo ou de outra pessoa, reconhecer um dos estados ou uma combinação de estados e escolher os remédios necessários para se obter a cura.”

Esses grupos emocionais reúnem as essências nos seguintes temas:

Quando, em 1930, o Dr. Bach partiu em buscas das plantas do seu novo sistema, ele não tinha um mapa completo e definitivo de suas descobertas.

Sua única certeza era que, neste novo modelo, os estados emocionais teriam que ser considerados se quiséssemos ajudar as pessoas a recuperar a saúde.
Se isso faz sentido para você, comece a prestar atenção nos seus sentimentos e equilibre suas emoções.

Se você quiser conhecer o trabalho do Dr. Bach com mais profundidade, o livro Coletânea de Escritos de Edward Bach reúne todos os textos que ele escreveu durante sua carreira. São textos que nos inspiram e nos mostram um jeito mais leve de levar a vida.

Para o topo