Você está comprometido com a evolução da sua consciência?

O desenvolvimento pessoal é uma jornada contínua que requer alinhamento interior e mudança de atitudes. Assim podemos acordar em nós a virtude da cura, segundo Julian Barnard.

Somos viajantes no tempo e, como tais, precisamos de pausas para tomar ar, arrumar os ladrilhos do caminho ou inventar novos passos. A cada ciclo que se renova, podemos refletir com mais cuidado sobre o nosso desenvolvimento emocional, mental e espiritual, como propôs o herbalista inglês e fundador da Healing Herbs Essências Florais, Julian Barnard, na palestra “O Dr. Bach e a evolução da consciência”.

Em seus escritos, o médico inglês usou a palavra “evolução” 27 vezes. Tamanha insistência tem uma justificativa, digamos, estrutural dentro do seu legado. Ele se referia ao caminho trilhado por cada indivíduo à medida que faz escolhas conscientes e efetua mudanças que contribuem para sua saúde integral. Portanto, em cada ser humano repousa a semente da evolução. Entenda por que a filosofia do Dr. Bach é um convite ao protagonismo.

Como ele ensinava: “A saúde depende de estarmos em harmonia com nossas almas”. Só que, muitas vezes, percorremos o caminho mais longo. Nos desarmonizamos internamente, adoecemos, sofremos e então buscamos nos realinhar à nossa essência. Se você está em algum ponto dessa estrada, procure lidar com esse processo da maneira mais aberta e gentil possível, pois não existem rotas certas ou erradas, apenas as que nos dispomos a desbravar com a sabedoria do nosso coração.

Doenças como mestras do autodesenvolvimento

“As doenças são mensageiras do Eu Superior para mudarmos padrões de comportamento, ao passo que os florais contêm informações que podem levar ao caminho da mudança por meio da evolução da consciência pessoal”, esclarece Julian.

Felizmente, a vida está repleta de exemplos de pessoas que não deixam escapar as oportunidades trazidas pelo adoecimento. Como lembra Julian, “o corpo revela a mente”. Assim, o que antes estava encoberto, vem à luz para ser tratado e transformado. Pela fenda da dor, muitas vezes, o divino chega até nós e nos guia. “Doenças podem mudar rumos se fizermos novas escolhas”, encoraja Julian.

O estudioso do legado do Dr. Bach destaca duas perguntas-chave para se iniciar o processo de autoinvestigação: Por que adoeci? Como posso ficar bem? Descobertas fundamentais costumam se revelar a partir desses questionamentos. A principal delas é, sem dúvida, a clareza acerca do nosso propósito de vida, pois é dessa forma que nos alinhamos à nossa alma e, consequentemente, manifestamos saúde verdadeira. Saiba como os florais podem conectá-lo ao seu propósito de vida.

Todos nós somos curadores

Contudo, não existem atalhos nem garantias de vias desimpedidas. Evoluímos ao longo dos estágios da vida conforme vamos nos realinhando à nossa natureza essencial e exercitando tanto o desapego em relação às coisas que não mais colaboram para o nosso crescimento quanto a entrega ao Mistério.

Dr. Bach compreendia essa alquimia da seguinte maneira: “A cura deve vir de dentro de nós, pelo conhecimento e pela correção de nossas falhas, pela harmonização de nosso ser com o Plano Divino. E como o Criador, em Sua misericórdia, colocou nos campos determinadas flores Divinamente enriquecidas para nos auxiliar em nossa vitória, vamos buscá-las e usá-las com toda a nossa capacidade, para que elas nos ajudem a escalar a montanha de nossa evolução, até o dia em que tenhamos atingido o topo da perfeição”.

É por isso que Julian acredita em mudanças de atitudes em relação à vida e não em intervenções vindas de fora, as quais, provavelmente, terão efeitos passageiros e em nada nos transformarão. Para ter consistência, o autodesenvolvimento precisa acordar nossas qualidades inatas. São elas que irão nos fortalecer perante os desafios e aprendizados pessoais.

Colocado dessa forma, pode parecer que a evolução da consciência é um projeto individualista e autocentrado. Pelo contrário. Quem se equilibra e desabrocha seus potenciais acaba beneficiando o entorno.

“Todos nós somos curadores. E, com amor e empatia, podemos ajudar aqueles que nos procuram a se curarem também”, reforça Julian.

Se você sentiu o chamado para expandir as possibilidades da sua existência, lembre-se do conselho de Julian: Faça-se perguntas. “Elas são ‘parteiras da alma’, como disse o filósofo grego Sócrates. Mas também temos que escutar os outros para receber respostas, sabendo que a jornada da autodescoberta é contínua. No fundo, estamos atrás da resposta para a questão fundamental: Quem sou eu?”.

Confira, a seguir, cinco florais que, segundo Julian Barnard, auxiliam o processo de evolução da consciência:

Clematis: indicado para os sonhadores, descolados da realidade física. O grande auxílio aqui é trazer os pés para o chão.

Mimulus: para lidar com o medo, nada melhor do que fazer crescer a coragem e a resiliência.

Gorse: indicado para se reacender a esperança.

Sweet Chestnut: auxilia aqueles que se encontram num estado de desespero profundo.

Vervain: indicado para pessoais que cultivam ideias fixas, oferecendo grande resistência à mudança.

Assista a palestra especial de final de ano, com Julian Barnard:
Clique aqui passa acessar o canal YouTube da Healing, ou se preferir, escute no Spotify

tags
Para o topo