Aplicações tópicas dos Florais de Bach: um mundo de possibilidades

Por Ricardo Orozco

Apesar da ampla difusão que a terapia floral de Dr. Bach alcançou até este momento, ainda existem áreas bastante subutilizadas.

Muita gente, entre usuários e terapeutas, enquadra os Florais de Bach numa caixinha mental/emocional. Algo como “Os Florais de Bach servem para ajudar na gestão de temas psicológicos”. E o que se segue a esta afirmação é o detalhamento de outros sistemas que “trabalham” mais o físico ou o espiritual e, neste último ponto, são “mais evoluídos”.

Para muitos terapeutas, sobretudo para este que lhes escreve, esta visão é demasiado reducionista, além de errônea. O fato de que conceitualmente se enquadre algo numa caixinha não implica que esse “algo” limite seu efeito àquilo que se espera dele.

Os Florais de Bach e a terapia associada a eles é uma disciplina holística. Holos, do grego, significa todo. Quer dizer, o sistema floral de Bach enfoca o ser humano como uma totalidade: mental, emocional, física e espiritual. Como uma amálgama de planos interconectados entre si e inseparáveis. Os Florais de Bach atuam simultaneamente sobre esses quatro aspectos, vez que todos nós somos um imenso território compartilhado. Sua ação a nível mental e emocional é a mais conhecida, mas não a única.

A ação espiritual das essências não deixa espaço para dúvidas. Para Bach, a espiritualidade consiste na aprendizagem de determinadas lições e no desenvolvimento de outras tantas virtudes: compaixão, amor, alegria, compreensão, tolerância, firmeza etc. Como vemos, trata-se de lições intra ou interpessoais que basicamente implicam temas de autoconsciência ou capacidade de empatia. Em última instância, inteligência emocional. Para Bach, a espiritualidade se desvela sobre temas deste mundo, da vida cotidiana, do aqui e agora, ou seja, está mais vinculada com nossa ação mundana e atitude ética ante a vida do que possamos imaginar. Portanto, configura-se um insulto à inteligência crer-se mais espiritual que outro pelo simples fato de não fumar, meditar ou ler determinados tipos de textos.

A ação física dos Florais de Bach é evidente e pode evidenciar-se de duas maneiras: por via oral, com efeito generalizado e simultâneo com os outros planos, como detalhado acima, ou por via local, com aplicação tópica.

Os usos tópicos são de uma efetividade surpreendente. Àqueles de nós mais habituados a este método parece estranho que muitos terapeutas florais não o incluam em seus tratamentos ou mesmo não o conheçam.

Muitas pessoas intelectualmente inquietas que tenham usado localmente a Fórmula Emergencial[1], por exemplo em uma pancada ou uma queimadura, questionam o seguinte: “Se estas essências funcionam tão bem nesses casos, as demais essências não poderiam funcionar também em outros casos?” A resposta é: Claro que sim!!

Em 1994, com base no estudo de casos antigos de Dr. Bach, comecei a pesquisar algumas aplicações locais. Isso me levou, no ano seguinte, a publicar minhas conclusões em um boletim de SEDIBAC (Sociedade para Estudo e Difusão da Terapia Floral de Bach da Catalunha). Mais adiante, em 1996, este trabalho se viu refletido no livro: Flores de Bach: Manual para Terapeutas Avanzados. (Índigo, Barcelona). Em 2003, publiquei pela mesma editoria: Flores de Bach: Manual de Aplicaciones Locales, onde recopilei 7 anos de experiências e aportes nos usos tópicos. Em março de 2014 preparei um curso completo on-line sobre os Padrões Transpessoais® e as Aplicações Tópicas, que está contribuindo para que muita gente de qualquer parte do mundo possa se formar nesta disciplina.

Levo 20 anos trabalhando com as aplicações tópicas dos Flores de Bach. Milhares de alunos, em diversas partes do mundo, aplicam as essências dessa forma, como complemento aos tratamentos florais de fundo. A chave que abre os usos tópicos dos florais é o Padrão Transpessoal®, que sistematizei simultaneamente às indicações locais.

O Padrão Transpessoal® consiste em uma série de termos que definem a ação da essência floral em todos os níveis. O de Clematis, por exemplo, é desconexão. Isso quer dizer que a essência floral de Clematis serve para reconectar tudo aquilo que possui algum padrão de informação em desarmonia. Dá no mesmo que seja um padrão de personalidade (uma pessoa com traços Clematis negativados certamente está “desconectada”) ou qualquer manifestação de desconexão: desmaio, obnubilação etc. Porém, na aplicação tópica, Clematis é uma excelente essência para recanalizar energia. Por isso é de uso obrigatório em debilidade de tecidos ou, inclusive, na morte destes (necrose), vez que se trata de uma desconexão do plano físico. No fundo, tudo que vai morrendo, vai se desconectando ou, se me permitem o neologismo, “clematizando”. Daí porque podemos vincular Clematis à morte e, consequentemente, ao calor e à vida. Assim entendemos também o porquê de ser tão eficaz em pessoas que têm mãos e pés frios.

Situar uma essência no Padrão Transpessoal® é alçá-la além dos seus usos pessoais (da personalidade). Implica um olhar amplo e global a partir do padrão de informação da planta, veiculado na essência floral. Sem dúvida, esta macroperspectiva facilita um enfoque maior e mais integrativo, onde se utiliza os florais numa concepção elevada e, ao mesmo tempo, eminentemente prática.


[1] A famosa fórmula emergencial dos Florais de Bach recebe um nome específico de cada laboratório que a produz, sendo Rescue®Remedy para o Nelson´s, Five Flowers Remedy® para o Healing Herbs, Estratto Universale® para o Laboratorio Erboristico Di Leo etc. Todas têm a mesma composição na fórmula: Impatiens, Clematis, Cherry Plum, Rock Rose e Star of Bethlehem. A versão em creme, para uso tópico, inclui também Crab Apple. (N.T.)




CONVITE ESPECIAL!

No dia 30 de Julho de 2022, às 10h (horário de Brasília) teremos mais um encontro, online, ao vivo e gratuito, da Healing com, a PALESTRA do RICARDO OROZCO sobre Padrão Transpessoal: possibilidades de uso tópico dos florais de Bach.

Participe!
INSCREVA-SE e receba o lembrete e link de acesso a sala do encontro.

ESPERAMOS VOCÊ!

tags
Para o topo