Uma conversa entre três essências de Bach

Vine, Heather e Rock Water são três florais cuja indicação terapêutica exige um olhar atento do terapeuta e muito tato: autoritarismo, autocentramento e rigidez são condições difíceis de se admitir.

Essas essências fazem parte dos 7 Auxiliares, que segundo o Dr. Bach são atitudes que se instalaram no tempo, depois de um longo período de sofrimento e desgaste físico e/ou emocional. São comportamentos que acabam por encobrir o temperamento inato da pessoa e que levam a mais dificuldades e solidão.

Ao ver no noticiário mundial os momentos terríveis que a Terra passa atualmente, fico pensando em como analisar, dentro da visão Terapêutica Floral do Dr. Bach, o que ocorre nas Almas motivadoras dessa situação. E logo penso nas três flores menos recomendadas no sistema de cura criado pelo Dr. Edward Bach: Vine como o principal ator dessa trama, sendo as outras Heather e Rock Water.

As características de Vine surgem claras na minha mente: sentimento de superioridade (não confundir com autoestima elevada), ambição de poder, inflexibilidade, autoritarismo, prepotência e sede por dominação.

Uma pessoa nessa condição não possui empatia, é orgulhosa, usa de sua autoridade mediante coação, inspira um medo muito grande em seu entorno, é agressiva e não possui dotes diplomáticos. O poder a encanta e sua grande ambição é mandar e dirigir todos os outros seres humanos.

Por outro lado, o estado positivo de pessoas que desenvolveram esse comportamento aponta para uma liderança natural que pode ser muito útil em calamidades.

Heather, por sua vez, possui grande carência afetiva e usa sua eloquência exageradamente, é egocêntrico e necessita de muita atenção. É um padrão basicamente emocional e aplica o seu verbal como meio de escape dessa ausência afetiva que o corrói. Essas pessoas apresentam um nível de sofrimento muito grande e buscam fugir da solidão, pela qual têm um pavor alucinante. Muitas vezes, são hipocondríacas, a maneira que encontram para ser o “centro das atenções”.

Quando compreendem e transformam a sua condição de sofrimento, essas pessoas começam a se sentir parte integrante de um todo, onde a solidão não faz mais sentido. E a partir desse reconhecimento, passam a atuar como colaboradores ativos na teia da vida.

Por fim, Rock Water é ascético (sisudo, austero, incorruptível), sua grande aspiração nesta vida é ser um exemplo a ser seguido por todos. Dono de uma rigidez mental estática muito grande, se autorreprime constantemente, foge dos prazeres mais simples da vida, estado que pode ser tipológico ou transitório. É metódico, frio e racional: tudo para conseguir a “perfeição” em algum aspecto de sua vida.

Quando livres desse modelo perfeccionista, essas pessoas são capazes de aproveitar a experiência da vida com leveza, graça e fluidez. E aí sim, como ensinou o Dr. Bach, resgatam “…a percepção do ‘ser’ e não do ‘fazer’, de sermos nós mesmos um reflexo das Grandes Coisas.”

Há alguma similaridade entre essas três essências?

Sim…se investigarmos cada floral individualmente veremos que eles se aproximam em algumas características e se distanciam em outras.

O Terapeuta Floral possui a chave desse saber e representa uma peça importante na definição da essência a ser recomendada em cada situação, a partir da fala, do gestual e da história de vida do seu cliente, combinados com o seu conhecimento prático e teórico no assunto.

Lucy Godoy e Luciana Chammas

Se quiser se aprofundar nesse tema, conheça o Curso Florais de Bach: diagnósticos diferenciais na recomendação de Heather, Rock Water e Vine, com a Lucy Godoy. O início será no próximo dia 16 de março.

Para o topo