Os 4 pilares da aromaterapia

Os óleos essenciais são substâncias vivas e, por isso, possuem comportamentos próprios. Sendo assim, seu uso deve ser feito respeitando algumas regras básicas que vão potencializar o uso dessas gotas aromáticas. Vamos conhecê-las?

Apesar da simplicidade da aromaterapia, o uso dos óleos essenciais requer alguns cuidados. São regras simples que garantem ao profissional trabalhar dentro de uma margem de segurança. Por isso, conhecê-las é o primeiro passo para que o tratamento seja um sucesso.

Fernando Amaral, osmólogo e CEO da World’s Natural Fragrances (WNF)

Em seu livro Técnicas de Aplicação de Óleos Essenciais, Fernando Amaral, osmólogo com mais de 20 anos de experiência, fala sobre os 4 pilares da aromaterapia. Estes conceitos passam pelas misturas dos óleos essenciais, pelas bases de diluição, pelas doses utilizadas e pelas técnicas e o tempo de aplicação.

Segundo Fernando,

“São nestes princípios que reside a estrutura da aromaterapia e o conhecimento destes pilares permite aos profissionais maior segurança e efetividade ao usar os óleos essenciais em sua prática clínica.”

Vamos conhecê-los?

1) Dosar: Inclui saber quais são as proporções de cada óleo essencial dentro da estratégia de tratamento, priorizando-se o efeito de cada óleo essencial na proporção do objetivo esperado. Se o tratamento for cicatrizante, por exemplo, óleos essenciais com tal propriedade devem aparecer em maior proporção.

2) Misturar: Inclui saber quais óleos combinam entre si e quais as bases adequadas para a técnica a ser utilizada, podendo elas variar entre creme neutro, óleos vegetais, argilas, vapor de ozônio e compressas com água, entre outras.

3) Diluir: Inclui saber qual é a quantidade de óleo adequada para a base escolhida e misturá-los na seguinte ordem: primeiro, os óleos essenciais; depois, os óleos vegetais ou creme neutro. Quando se prescindir da utilização de uma base, os óleos essenciais devem apenas ser misturados e aplicados conforme a técnica escolhida.

4) Aplicar: Inclui ter domínio sobre a técnica de aplicação e saber por quanto tempo e com qual frequência se deve adotá-la para a obtenção do resultado pretendido.

Conhecendo bem esses quatro pilares, o profissional estará apto a desenvolver um trabalho seguro e eficiente!

Material extraído do livro Técnicas de Aplicação de Óleos Essenciais – Terapias de saúde e beleza de Fernando Amaral – Editora Cengage Learning

Para o topo