Quem sou eu? 

Uma pergunta fácil de fazer, mas nem sempre simples de responder…

Atualmente, falamos muito sobre o exercício do autoconhecimento. Mas o que será que está por trás desse movimento e o que significa conhecer-se melhor? Com certeza, não estamos falando de acumular informações, nem de citar frases dos sábios.
Conhecer-se é um processo de autoquestionamento contínuo. Porque se questionar é ir ao encontro de si mesmo e da nossa própria essência. E uma vez que nos aproximamos de nossa essência, resta-nos desvendá-la.

Esta essência não é o próprio corpo, nossas crenças, nossas opiniões ou o papel e a função que ocupamos na sociedade. Na verdade, isso é tudo o que não somos. Ao procurar entender o que somos de verdade, e o que não somos, há um longo período de questionamento. Mas isso é muito saudável e promissor!

Dizem que quando o cientista Albert Einstein voltava da escola, ainda criança, sua mãe perguntava não o que ele tinha apreendido, mas se havia feito boas perguntas. A pergunta é o caminho e o quesito mais importante desta “navegação interior”.

Alguém que busca conhecer-se deve ter em mente que sua tarefa, por maior que seja, não traz diretamente o reconhecimento social. A sociedade reconhece o que pode ver, a glória e o sucesso e aquilo em que você pode ser melhor do que os outros.

Nesse sentido, o autoconhecimento não é algo que você adquire como um bem de consumo e que torna-se imediatamente visível a todos, mas algo que vai se incorporar na sua vida e que passa a transpirar nas suas palavras, gestos, atitudes e ações trazendo clareza, autoconfiança, calma e desapego da dor e dos sofrimentos.

Existem muitos caminhos para sabermos mais sobre nós mesmos. Como professor de yoga e meditação, adotei há mais de 40 anos os ensinamentos orientais como um guia para fazer as perguntas e buscar as respostas dentro de mim.

E esse é um exercício que tem apenas começo…

Se quiser ir mais longe nesse caminho, a Healing tem um curso que é um convite ao exercício de autoconhecimento. No curso Yoga na Vida, nós apresentamos os ensinamentos orientais de uma maneira que você possa olhá-los com lentes que simplifiquem cada frase e cada palavra.

 

Para o topo