A Mata Atlântica e as origens da Ararêtama

Ararêtama é uma palavra tupi-guarani que significa ‘lugar de onde se origina a luz’.

O Sistema Ararêtama tem como pilar a sabedoria da Mata Atlântica.
E o que significa isso?

Esta floresta brasileira, que foi reduzida a menos de 10% da área uma vez ocupada alguns séculos atrás, é uma das maiores biodiversidades do planeta.

O que torna a vida tão abundante e múltipla na floresta? Como incontáveis seres de variados tipos e diferentes necessidades vivem em equilíbrio, partilhando recursos limitados, tais como espaço, água, sol e nutrientes escassos?

A resposta reside no fato de que não são as regras de concorrência que prevalecem, mas sim as da cooperação. Da escassez e da diversidade é gerada a abundância e o equilíbrio. As palavras-chave são cooperação, auto-organização, interdependência, resiliência, liberdade, originalidade, criatividade e respeito nascem do comportamento sócio biológico desta natureza.

Plantas e animais interagem em uma fusão, utilizando apenas aquilo que necessitam de recursos, desempenhando papéis específicos que são interligados de forma que o resultado é o equilíbrio do todo. Um equilíbrio que não é estático, mas em movimento, pois a flexibilidade é uma virtude da natureza, respondendo ao fato de que a transição é inata a vida.

Como prosperar a partir da diversidade ao invés de combatê-la? Como gerar desenvolvimento sem ameaçar a vida e o bem-estar de todas as espécies? Como criar abundância onde há a sensação de escassez? Como criar resiliência e encarar as mudanças de forma positiva? Neste momento na história em que os pilares do atual modelo de sociedade estão sendo profundamente questionados, essa floresta é um legado de sabedoria. Soluções para grandes desafios que enfrentamos são reveladas na simples observação dos modelos oferecidos pela natureza.

A Mata Atlântica tem muito a nos ensinar.

Se quiser ir mais longe nesse caminho, conheça o curso Florais da Mata Atlântica Sistema Ararêtama.

Para o topo